Facebooktwittergoogle_pluspinteresttumblrmailFacebooktwittergoogle_pluspinteresttumblrmail

A MINHA CONSULTA

Quando recebo pela primeira vez um paciente em consulta procedo de imediato ao levantamento de todos os dados clínicos relevantes, nomeadamente, os seus antecedentes clínicos pessoais, familiares, resultados de exames (por exemplo, análises de sangue), funcionamento gastro-intestinal e medicamentos.

Procuro explorar qual a relação que o paciente tem com os alimentos, assim como, com o seu corpo (qual a imagem que tem de si mesmo) e como lida com as diferentes situações.

Faço, ainda, uma avaliação completa das suas rotinas diárias, horários, alimentos preferidos e preteridos, hábitos alimentares, e por fim, uma avaliação corporal (avaliação antropométrica e avaliação da composição corporal por método de impedância bio-eléctrica).

Com base na informação recolhida, prescrevo um plano alimentar adequado às características e ao objetivo do meu paciente, que inclui sugestões para cada refeição.

Costumo dizer que o plano nutricional tem de se adaptar a si e não você ao plano.

Nas sugestões feitas tenho sempre em conta as suas preferências, porque é essencial ter prazer em comer. Caso contrário, fazer uma dieta tornar-se-ia numa experiência angustiante e sem resultados.